Comportamento

Amélia

queroseramelia.com

sexist-ad-1950-kitchen

Acordo um pouco mais tarde que o costume, já que estou de folga do trabalho e tento arranjar forças para sair da cama, por minha roupa de ginástica e ir para mais uma aula de spinning.
Entre pedalas e gritos animados do professor, tento esquecer o quão cansada me sinto na minha rotina de trabalhar fora e cuidar do lar. Aproveito a pausa para beber água e tento relembrar minha agenda do dia, passar no supermercado, na feira, limpar a casa, lavar e passar a roupa, cozinhar o jantar…isso tudo no meu dia de folga! Penso em como seria bom se eu pudesse ser “só” dona-de-casa.

Não quero sair para o trabalho, quero ficar em casa, limpando, lavando, ouvindo música ou vendo programas de culinária na TV. Quero ter tempo para ir ao mercado escolher frutas e verduras fresquinhas.

Como invejo as gerações passadas onde as mulheres tinham tempo pra cuidar da horta de temperos e trocar receitas com as amigas, sejam elas de cassarolas e sobremesas ou remédios caseiros.

Infelizmente ainda não somos tão emancipadas quanto pensamos. Nos transformamos em super mulheres, vivemos numa eterna competição, precisamos provar que conseguimos ter uma carreira de sucesso e uma família de comercial de margarina. Além de trabalhar muito, ainda temos que estar de saltos altos, cabelo hidratado, cheirosas, com as unhas feitas e a depilação em dia, ainda arranjamos tempo para ir pro gym correr atrás da tão sonhada barriga negativa. Cuidamos dos filhos e da casa e mesmo assim nossos salários são menores que os dos homens.

Pra mim chega! Será que ainda posso nadar contra a corrente? Será mesmo que preciso sentir vergonha de dizer que adoro cuidar da minha casa e fazer o jantar para o meu marido? Afinal, empoderamento não é sobre a mulher ser e fazer o que ela quiser? Nada contra as mulheres independentes e com carreiras incríveis. A vocês toda a minha admiração e respeito, mas eu, quero mesmo é ser Amélia.

proxima

You Might Also Like

0 Comentários

Responda