Viagem

India – Conclusão da Viagem e Dicas

Taj Mahal

@qsamelia

Algumas pessoas acompanharam a narrativa da minha viagem à Índia, como era muita coisa, dividi em Parte 1, Parte 2 e Parte 3. Resolvi fazer este post para contar o que tirei de tudo isso e também para dar algumas dicas para  você que também pretende se aventurar por esse país incrível.

Como já disse antes, visitar a Índia era um sonho antigo e apesar de ter me decepcionado um pouco não me arrependo de ter ido.  É realmente uma experiência super bacana. Você mergulha em uma cultura completamente diferente  da que estamos acostumados e  pode ser um pouco chocante. Por isso é super importante se preparar, se informar muito antes de decidir comprar sua passagem.

Dicas:

Informe-se:
Antes de ir li muito sobre a Índia, tracei (e mudei várias vezes) meu roteiro. Encontrei o blog INDI(A)GESTÃO, da Sandra, uma brasileira que mora na Índia e escreve muito bem como é o país, com a verdade nua e crua. Li o blog todo, achei muitas dicas e muitos depoimentos de pessoas que já passaram por lá. Foi muito útil para mim.
Programe seu roteiro com antecedência, anote rotas, treins, ônibus, onde embarcar ou desembarcar.
Escolha a melhor época. Você definitivamente não vai quer visitar a Índia no verão, tao pouco nas monções (época das fortes chuvas e enchentes). Eu fui em Abril, na primavera, quando o inverno  já tinha acabado e o verão ainda não tinha começado.  Mesmo assim, fez muito calor em Dehli e Agra e friozinho mais ao norte. Algumas pessoas preferem Outubro e Novembro, logo depois das monções.

Visto:
O visto foi uma novela para conseguir, não sei se aí no Brasil é mais rápido, fui 4 vezes ao consulado indiano aqui em Amsterdam até finalmente consegui dar entrada nos papéis. O visto ficou pronto 1 mês depois. Portanto só marque sua passagem quando já estiver com o visto aprovado.

Vacinas:
É aconselhável tomar algumas vacinas, contra febre amarela por exemplo, entre outras doenças. Algumas pessoas dizem que é obrigatório se vacinar. No meu caso, deixei para olhar a questão vacina em cima da hora, além de ser muito caro, como já estava bem próximo da minha viagem e as vacinas demoram um tempo para fazerem efeito decidi não tomar. Não tive problemas, ninguém perguntou se tomei as vacinas , e também não fiquei doente. Fica ao critério de cada um.

Dinheiro:
É super difícil trocar dinheiro antes de viajar, procurei muito e não encontrei. Troquei dinheiro no aeroporto assim que desembarquei em Dehli, depois troquei mais em uma casa de câmbio e também fiz saques em caixas rápido algumas vezes.
Os indianos não aceitam notas rasgadas ou furadas, portanto quando receber algum troco, verifique se as notas estão em boas condições, depois você não consegue passa-las à frente.

Onde ficar:
Escolhi e reservei todos os hotéis  antes de embarcar, achei melhor,  uma coisa a menos para me preocupar. Usei o Booking.com para todas as minhas reservas. Como a moeda indiana é desvalorizada os custos saem bem baixos, por isso você tem inúmeras opções de hospedagens para escolher, sem precisar gastar muito. Aconselho a não escolherem o mais barato de todos, escolha um intermediário, com pelo menos banheiro privativo com vaso sanitário, ao invés do convencional “buraco no chão”. Deixem sempre o vaso fechado  para evitar surpresas como cobras e escorpiões (acreditem, isso acontece!).
Se não abre mão de se hospedar em um bom hotel e não se importa em pagar mais por isso, também não há problema, você também vai encontrar hotéis incríveis, com ótimos serviços. O primeiro hotel em que fiquei por exemplo, era um 5 estrelas de uma famosa cadeia internacional e foi maravilhoso. O hotel tinha piscina, sauna e serviços de spa com massagens tipicamente indianas, era um alívio poder contar com isso ao fim de um dia de maratona no trânsito indiano. A cozinha também era ótima!  Houve um dia em que comentei ao sair pela manhã com uma recepcionista que aquele dia era uma data comemorativa, quando retornei ao fim da tarde tinha um bolo e flores a minha espera no quarto com um cartão super simpático!



Booking.com

O que comer/beber:
Esse é um tópico muito importante. Não me arrisquei muito com comidas, procurei só comer em lugares mais limpos e não provei nenhuma comida de rua. Aliás, em uma das minhas viagens, paramos em um restaurante na beira da estrada, quando fui ao banheiro vi que um cara estava lavando no chão, ao lado do “vaso” as vasilhas de comida que ele estava vendendo la fora (para quem não sabe, a maioria dos banheiros na Índia são um buraco no chão). Imagina a bagunça!
Comida indiana é super condimentada, portanto, cuidado com a pimenta.
Água, só em embalagens lacradas e evite também comer frutas que já estejam abertas ou fatiadas.
Tenha sempre um frasco de álcool gel em mãos.

O que vestir:
Para as meninas, NÃO usar roupas curtas ou cavadas. Os turistas já chamam atenção normalmente, e fica super desconfortável se for mulher, os indianos ficam encarando o tempo todo. Ou seja, como faz muito calor, o melhor é usar calças largas, de tecido fino e confortável, tipo calça saruel, calça do Aladin, calça de yoga, calça de hippies,  seja lá como se chamam. Eu usava blusas de mangas curtas, mas sempre colocava um lenço em volta, cobrindo os ombros. É muito comum ver turistas, principalmente europeias usando shorts super curtos, sinceramente, acho uma loucura, um risco desnecessário, sem contar uma falta de respeito com a cultura local.

Espero não ter assustado com os meus relatos, o meu objetivo não é esse. O que quero é fazer com as pessoas estejam preparadas para saber agir em todas as situações que aparecerem. Que não se desesperem quando uma coisa não sair como  deveria. Quero também levar informação e compartilhar  as minhas experiências.   Portanto, se você ainda não foi a Índia, o que está esperando????? E se você já foi, comente embaixo e deixe seu relato.

anterior
proxima

You Might Also Like

0 Comentários

Responda